sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Ao meu lugar...


E quando achei que poderia assim tão fácil...
De você a minha alma libertar-se...
Como um golpe frio de quem me toma a liberdade...
Fez-me voltar a realidade que me tomba...
Com seu olhar sutil, de arrepiar...
Me pôs assim, a  rastejar... O meu dever.
E eu, submissa... como  era de direito...
voltei enfim, alegremente ao meu lugar...
O chão frio... duro e solitário...
Aquele mesmo que me faz estremecer...
Na mais doce maneira de te amar...
aos teus pés, outra vez... eu pude estar.

5 comentários:

  1. ......linda...
    ...e gradual olhar desperta,
    .interligando o horizontes...
    e acordai alma encoberta de manto insano de imprecisos pensamentos...
    e o sol lá fora,
    circula sem ir-se embora.
    em frente !
    Viva !
    *
    Vida imensa, amor, gratidão e paz...
    beijos celestiais pra te ver sorrindo...
    .
    mou < : )
    ..
    .
    .

    *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada pela visita e pelo comentário. Estou de volta ao blog, depois de um bom tempo. Bjs doces.

      Excluir
  2. Oi Querida!

    Que intenso... e triste.
    Mas é uma belíssima poesia.

    Miaubeijos com muito carinho =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Olá querido, tinha perdido o acesso ao blog... .agora recuperei. Bjs doces!

    ResponderExcluir